Fim do prazo concedido à Polícia Federal para encerrar investigações que ligam Cassol às propinas da Odebrecht

Senador Ivo Cassol já pode cumprir pena

PORTO VELHO – Encerrou na última segunda-feira (09) o prazo assinalado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin para que a Polícia Federal (PF) apure o envolvimento de senador Ivo Narciso Cassol (PP), ex-governador de Rondônia, no suposto recebimento de propinas pagas pela empresa Odebrecht.

Inquérito descreve suposta participação de Cassol em esquema de recebimento de propina

Conforme o Inquérito 4.411(DF), o Ministério Público Federal obteve informações e dados – incluindo indícios colhidos em delação premiada – dando conta de que Cassol  teria recebido valores desembolsados pelo nominado “Setor de Operações Estruturadas” do Grupo Odebrecht, como contrapartida à sua atuação de acordo com os interesses empresariais no âmbito do “Projeto Madeira”. Isto, especificamente em razão dos desentraves burocráticos operados na “qualidade de Governador do Estado de Rondônia”.

O prazo concedido à PF por Fachin encerrou ontem (09)

Segundo relata Fachin, as notícias dos crimes emergiram em “acordos de colaboração premiada celebrados por executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht e Braskem S/A”, tudo no contexto da cognominada Operação Lava Jato.

Autor: Rondoniadinamica

Fonte:maisro





© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados.